Pinheirinho demonstra que São Paulo é o atraso político, ético e intelectual

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-acordo-nao-cumprido-de-pinheirinho-por-rovai

O acordo não cumprido de Pinheirinho, por Rovai
Enviado por luisnassif, dom, 22/01/2012 – 19:32

Do Blog do Rovai

Alckmin e prefeito de São José não cumpriram acordo, diz Suplicy

22 de janeiro de 2012 às 18:15 Nenhum Comentário

Entrevistei o senador Suplicy e o deputado federal Paulo Teixeira, líder do PT na Câmara Federal, que estavam negociando com o governo do estado no caso da ocupação Pinheirinho, em São José dos Campos. Ambos me confirmaram que havia um acordo com o governador Alckmin e com o prefeito de São José dos Campos, Eduardo Cury, para que se buscasse um entendimento nos próximos quinze dias e o Pinheirinho não fosse invadido pela Polícia Militar.

Como o acordo não foi cumprido, ao saber da invasão, às 6h30 da manhã, o senador Suplicy pegou seu carro e foi para o Palácio dos Bandeirantes. Chegou lá às 7h e foi atendido às 8h30 por Alckmin, que lhe disse que teve que cumprir ordem judicial. Suplicy ponderou que havia uma decisão federal em outro sentido e Alckmin lhe respondeu que a que valia era a decisão paulista.

Suplicy disse que como não é jurista, achou estranho, mas decidiu não discutir a questão e ponderou que essa não era a melhor solução. Alckmin lhe disse que tinha enviado muitos assistentes sociais para o local e que a ocupação seria “absolutamente pacífica”.
Antes disso acontecer, o senador, no entanto, afirmou que esteve em uma reunião na sexta-feira, no Fórum João Mendes, em São Paulo, que contou com a participação dos deputados estaduais Carlos Gianazzi (PSOL) e Adriano Diogo (PT) e o deputado federal Ivan Valente (PSOL).

Na ocasião ficou acertado com o juiz Luiz Beethoven Giffoni Ferreira, responsável pelo processo de falência da Selecta, Jorge Uwada, administrador da massa falida, e Waldir Helu, advogado da empresa, que se esperaria 15 dias para que qualquer decisão fosse tomada.

O acordo teria sido protocolado no gabinete do presidente do Tribunal de Justiça, Ivan Sartori, e na frente de Suplicy o juiz Beethovem teria ligado para à juíza Márcia Loureiro e lhe informado dos termos acordados.

Marcia Faria Mathey Loureiro é da 6ª Vara Cível de São José dos Campos. Foi ela quem determinou a desocupação do Pinheirinho.
O relato de Suplicy tem nomes e sobrenomes. As pessoas citadas precisam se explicar.

http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1037928-reintegracao-em-sp-atropelou-negociacoes-para-saida-pacifica-diz-ministro.shtml
22/01/2012 – 17h25

Reintegração em SP “atropelou negociações para saída pacífica”, diz ministro

MÁRCIO FALCÃO
DE BRASÍLIA

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) disse neste domingo que a ação de reintegração de posse da área invadida do Pinheirinho, em São José dos Campos (97 km de São Paulo), “atropelou” as negociações para a desocupação pacífica do local.

Veja imagens da reintegração de posse
Carro da Globo é queimado em reintegração de posse em SP
Reintegração de posse deixa um ferido em São José dos Campos
PM diz que reintegração de área invadida em SP foi pacífica
Vídeo mostra tensão de moradores em reintegração no Pinheirinho

Responsável pela interlocução com os movimentos sociais, Carvalho afirmou que o Palácio do Planalto vinha acompanhando as conversas sobre a retirada das famílias da área e trabalhava para uma saída negociada, com a definição de uma nova região para abrigar as famílias.

Por lá, vivem cerca de 6.000 pessoas. O local é alvo de uma disputa entre os invasores e a massa falida de uma empresa, proprietária do terreno. No início da manhã, a Polícia Militar cumpriu a ordem judicial. O clima é tenso.

Por conta da ação, as famílias chegaram a bloquear a rodovia Dutra, próximo ao km 154 no sentido Rio de Janeiro, por volta das 13h30 de hoje.
Lucas Lacaz Ruiz/A13/Folhapress
Tropa de Choque da PM entrou em confronto com moradores do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP)
Tropa de Choque da PM entrou em confronto com moradores do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP)

Um dos assessores do ministro, inclusive, que estava no terreno, foi atingido com uma bala de borracha na perna.

Carvalho evitou fazer críticas à ação e ao governo de São Paulo, mas disse que o governo federal foi surpreendido com a desocupação ainda mais em um domingo. Ele afirmou que estranhou o fato de o prefeito de São José dos Campos, Eduardo Pedrosa Cury, ter desmarcado uma reunião sobre a invasão na última quinta-feira.

A presidente Dilma Rousseff foi avisada no início do dia dos problemas na desocupação. Ela pediu que além de Carvalho, os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Maria do Rosário (Secretaria de Direitos Humanos) acompanhassem os desdobramentos.

Cardoso teria telefonado para o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e alertado sobre os riscos do uso da força policial. Na avaliação do governo, parte das famílias têm ligações com movimentos sociais mais radicais.

Para o governo, o uso da força era desnecessário, tendo em vista que a ocupação está consolidada há oito anos e que haviam discussões para uma solução para a retirada das famílias.

Qual adjetivação usar?

http://www.diarioliberdade.org/index.php?option=com_content&view=article&id=23449:ocupar-resistir-enfrentar-do-pinheirinho-eu-nao-saio-nao&catid=242:repressom-e-direitos-humanos&Itemid=156

“Os moradores do Pinheirinho seguem em sua luta, com assembléias emocionantes, com a vontade de continuar a lutar pela terra onde formaram sua história e suas famílias e mostrando não apenas para o Vale do Paraíba, mas para o mundo, que ali é uma comunidade com espaços de reecreação para as crianças, respeitando os credos das pessoas que ali vivem e tendo claramente quem é que é dono daquele espaço, pois o dono reconhecido pela justiça, Naji Nahas especulador proibido em entrar em mais de 40 países no planeta, hoje deve mais de R$ 10 milhões de IPTU para a prefeitura e há mais de 30 anos não fazia uso algum do terreno ocupado.”

http://www.viomundo.com.br/denuncias/deputados-denunciam-manobra-de-ma-fe-do-governador-alckmin.html
22 de janeiro de 2012 às 17:00
Deputados denunciam manobra de má-fé do governador Alckmin

http://www.viomundo.com.br/denuncias/domingo-de-guerra.html
22 de janeiro de 2012 às 17:21
Domingo de guerra

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/uma-questao-de-palavra-por-conceicao-lemes#comments
Uma questão de palavra, por Conceição Lemes
Enviado por luisnassif, dom, 22/01/2012 – 19:44

Do Viomundo

Deputados denunciam manobra de má-fé do governador Alckmin
por Conceição Lemes

Tropa de choque de quase 2 mil homens, caveirão, armamento pesado. Com todo esse aparato, começou neste domingo, às 6h, a desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos. Moradores, lideranças e parlamentares foram totalmente pegos de surpresa.
“O senador Eduardo Suplicy (PT) e o deputado federal Ivan Valente (Psol-SP) estavam dialogando com o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito Eduardo Cury (PSDB) e proprietário da área, para achar uma solução negociada”, afirma o deputado estadual Marco Aurélio Souza (PT). “O próprio dono da área havia concordado em aguardar mais 15 dias. Isso tudo foi minuciosamente relatado por Suplicy numa assembleia realizada ontem, sábado, no Pinheirinho. De modo que todo mundo estava tranqüilo.”
Para Marco Aurélio, Alckmin manobrou os parlamentares para desmobilizar os moradores e, aí, fazer a reintegração de posse sem resistência. “Covardia com os moradores, para pegá-los desprevenidos”, acusa. “Quebra de palavra com os parlamentares importantes de São Paulo. ”
O professor Paulo Búfalo, da executiva de Psol em São Paulo, está convencido também de que foi uma manobra de má-fé do governador Alckmin. De um lado, negociava, com os parlamentares. De outro, determinava a desapropriação da área, uma ação em conluio com a Justiça de São Paulo: “Todos os relatos que estamos ouvindo aqui, infelizmente, apontam para isso”.
Sobre mortos e feridos os números são desencontrados. Divulgou-me mais cedo sete óbitos. Mas isso não confirmado.
“Mesmo as lideranças estão com dificuldade de obter informação”, diz Búfalo. “A tropa de choque fechou todas as entradas e saídas do acampamento. Ninguém sabe direito o que está acontecendo lá dentro.”
O fato é quem quem chega ao Pinheirinho está sendo recebido com bombas, que estão sobrando até para a imprensa e parlamentares. “Eu guardei de ‘lembrança’ os resíduos da que a PM atirou contra mim”, observa o deputado Marco Aurélio. “Se a amanhã o governador disser que a reintegração de posse do Pinheirinho foi feita de forma pacífica, eu tenho como provar que é mentira.”

“Se você não cuidar, os jornais farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo.” Malcolm X

Anúncios