CMI :: 07/05/2012

SOMOS VELHINHOS INOCENTES E CUMPRIMOS NOSSO DEVER- dizem os verdugos da Ditadura
Por Fábio de Oliveira Ribeiro 07/05/2012 às 12:19

Não se enganem, nem tenham piedade dos verdugos.

Ao ver esta foto, certamente você ficou consternado. Ele parece seu avô. Um idoso respeitável e inofensivo. Incapaz de fazer mal a quem quer que seja.

Não se engane. Este sujeito é um psicopata perigoso e violento que cometeu crimes em série sob a proteção política de uma Ditadura. Apesar de revelar a verdade e os crimes que cometeu em livro recente publicado, cláudio Guerra ainda diz que estava apenas cumprindo seu dever. Exatamente como Eichmann quando prestou depoimento em Jerusalém, este velhinho com aura inocente, é incapaz de aceitar a responsabilidade pessoal pelas brutalidades e ilegalidades que cometeu.

Como ele muitos mais ainda estão soltos. Ustra é apenas um deles. Talvez seja o pior, porque foi capaz de escrever e publicar um livro fazendo o elogio de suas próprias barbaridades. E ao contrário de Cláudio Guerra segue negando os crimes que cometeu.

A revelação dos crimes é apenas um passo. Mas não pode levar nem ao perdão nem à piedade. Como Eichmann todos os verdugos da Ditadura só merecem uma coisa: processo, condenação e cumprimento da sentença. As sentenças condenatórias deles tem que ser severas, mas não tão severas quando as ilegalidades que eles cometeram.

Se o Brasil não os levar à Justiça e a Justiça não os levar à cadeia, o povo brasileiro (em especial as vítimas) adquirirão o sagrado direito de VINGANÇA na pessoa deles e nas pessoas dos familiares deles. Crime de verdugo da Ditadura não tem nem esquecimento, nem perdão, nem anistia.

Email:: sithan

FONTE: http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2012/05/507301.shtml

Anúncios