A ARTE E O CONTEXTO HISTÓRICO SOCIAL

SOBRE OS ANOS 60

PALAVRAS CHAVE
DITADURA MILITAR, CENSURA, MANIFESTAÇÕES POPULARES CONTRA A DITADURA MILITAR E PRODUÇÃO ARTÍSTICA E SUAS RELAÇÕES COM A POLITICA
Contexto
O regime militar instaurado no Brasil a partir de 1º de abril de 1964 decretou, entre outras medidas, a suspensão do• direitos civis, a realização de eleições indiretas para presidente da República por um período de dois anos, o fortalecimento do Poder Executivo e a cassação de mandatos. Fazendo uso de mão•de ferro e num crescente de autoritarismo e repressão, os militares passaram a governar por meio de atos institucionais que burlavam e desautorizavam o Poder Legislativo. Desse modo, a promessa de eleições diretas tornou-se um sonho adiado por 21 anos, e exílio,tortura censura e assassinato passaram a fazer parte do modo de governar
O povo mobilizou-se e foi às ruas protestar. Artistas, estudantes organizados pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e outros setores, como parte da imprensa, receberam tratamento duro por parte do Estado que, em 13 de setembro de 1968, decretou o AI-5, o ato institucional mais violento de todos. A luta armada em oposição ao regime intensificou-se passando a adotar o modelo da guerrilha cubana. Das ruas aos porões, a tragédia causada pela ditadura atingiu camponeses, artistas, universitários e trabalhadores. Segundo a comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Politicos.
No Brasi o Dossie dos mortos e desaparecidos Políticos a partir de 64, registra 358 mortes durante o regime civil militar. Se somarmos a este número as 18 pessoas registradas nos processos oriundos de denúncias novas aprovadas pela Comissão Especial. são 376 os mortos e desaparecidos políticos Considerando-se somente os processos aprovados pela Comissão Especial esse número é reduzido a 281 pessoas assassinadas devido às suas atividades políticas. Até o momento somente se teve o acesso a poucos e inexpressivos documentos referentes às mortes, principalmente Sobre as que ocorreram na zona rural.
Análise e discussão
Proponha a discussão das seguintes questões, articulando-as com os temas transversais e acrescentando tópicos:
O que representa a ditadura para um regime democrático?
Como o governo militar articulou economia e política?
Quais os principais atos de protesto organizados pela esquerda?
Como foi a produção cultural brasileira do período?
Qual o impacto da censura e do exílio sobre a sociedade brasileira na época da ditadura militar?
Ação e representação
O documentário Sobre Anos 60 é uma reflexão cinematográfica do período que, alinhavando textos e imagens, oferece ao mesmo tempo um quebra-cabeça e um painel do período. Proponha aos seus alunos leitura e interpretação do programa pelo viés histórico-cultural para que percebam o discurso que o cineasta a promove nesse recorte. Pelo fato de a análise partir de uma visão pessoal da história, procure articular os elementos do filme com os conceitos da micro-história.
Sugestões adicionais
Apresente aos alunos alguns dos filmes que o documentário utiliza, como Cabra Marcado para Morrer, Vidas Secas, terra em Transe e Ganga Zumba. Em seguida, articule-os com a época estudada.
Disponível em http://www.desaparecidospoliticos.org.br/index.php?m=1

ANOS 70 – TRAJETÓRIAS

PALAVRAS CHAVE – DITADURA MILITAR, CENSURA, COMPORTAMENTO MODA, TELEVISÃO, EFERVESCENCIA CULTURAL E TROPICALISMO.
TEMA TRANSVERSAL – PLURALIDADE CULTURAL
Contexto
Waly Salomão, poeta e compositor baiano, nascido no município de Jequié em 1943, é uma das peças-chave para compreender o movimento cultural que entrou para a história com o nome de tropicalismo. Alegre antropofágico e irreverente, o movimento alinhou nomes como Gilberto Gil e Caetano Veloso, na música; Hélio Oiticica, nas artes plásticas, José Celso Martinez Corrêa, no teatro; e Torquato neto, na literatura. Ideologicamente identificado com o Manifesto Antropofágico, o tropicalismo costurou na mesma colcha de retalhos influências estrangeiras e populares nacionais que não costumavam freqüentar a sala de estar da sociedade brasileira dos anos 70.
Para compreender a década de e sua efervescência cultural no Brasil é imprescindível conhecer um pouco da obra e da trajetória de Wa ly Salomão, também ele alegre antropofágico e irreverente. Foi edi tor, ao lado de Torquato Neto, da revista Navilouca (que teve uma só edição, mas foi forte o suficiente para entrar na história da cultura brasileira parceiro musical de Gilberto Gil e Caetano Veloso, produtor cultural e pesquisador. Sua obra Algoravias, Camera de Ecos ganhou os prêmios Alphonsus de Guimaraens, da Biblioteca Nacional (1996), e Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro (1997). Organizou, ao lado de Ana Duarte, a obra póstuma de Tarquato Neto, Últimos Dias de Paupéria, e, com Lygia Pape e Luciano Figueiredo, Aspiro o Grande Labirinto, obra pós uma de Hélio Oiticica, de quem também foi biógrafo.
Waly Salomão faleceu em 2003. esse ano ocupou o cargo de secretário nacional do Livro e da Leitura do Governo Federal. Publicou ainda, entre outros, Gigolo de Bibelos, Surrupiador de Souvenirs, Lábio e Tarifa de Embarque.

Análise e discussão
Proponha a discussão das seguintes questões, articulando-as com os temas transversais e acrescentando tópicos:
Que análise se pode fazer dos depoimentos que constam no programa Anos 70: Trajetórias, em especial o de a Salomã07
• O que a década de 70 significou cultural e politicamente para o Brasil?
O que significa no contexto da década o jogar-se no mundo movido pela compressão da ditadura de que fala Waly Salomã07
Que marcas culturais herdadas dos anos 70 podemos perceber hoje no Brasil7
Ação e representação
Divida a classe em grupos e oriente-os a analisar a década de 70 em suas diferentes expressões artísticas: música, literaura, artes plásticas, teatro, dança, audiovisual. Em seguida, promova a troca dos resultados em um debate.
Sugestões adicionais
Sugira aos alunos que pesquisem as biografias dos nomes mais importantes da cultura brasileira nos anos 70 e a continuidade de sua obra nos dias atuais.
O BRASIL DA VIRADA
PALAVRAS CHAVE
Urbanização, guerras e revoluções, religião fundamentalismo, crise da civilização mapeamento, genético, internet, literatura contemporânea, musica popular, lixo e degradação dos recursos naturais, e comportamento
TEMAS TRANSVERSAIS
Ética, pluralidade cultural, meio ambiente, saúde, trabalho, consumo e religião
Contexto
Barbárie, guerras em nome de Deus, degradação dos recursos do planeta, miserabilidade, corrupção. Esses são alguns dos elementos que compõem a crise do padrão civilizatório que o século XXI herda do seu ascendente direto, o século XX, que se notabilizou tanto por seus avanços tecnológicos vertiginosos como pelos grandes massacres das guerras mundiais, dos genocídios consentidos, dos silenciosos grupos de extermínio. O historiador Eric Hobsbawn (Eric John Earnest Hobsbawm (Alexandria, 9 de Junho de 1917) é um historiador marxista reconhecido internacionalmente. Um de seus interesses é o desenvolvimento das tradições. Seu trabalho é um estudo da construção destas no contexto do Estado-nação. Ele argumenta que muitas vezes as tradições são inventadas por elites nacionais para justificar a existência e importância de suas respectivas nações). dá conta da extensão desses efeitos trágicos. Diz ele:
Michael Ignatieff, em seu recente BJood and Belonging, observa a diferença entre 05 pistoleiros das guerrilhas curdas de 1993 e os dos postos da fronteira bósnia. Com muita perspicácia, ele percebe que na sociedade sem Estado do Curdistáo todo menino que chega ã adolescência recebe uma arma. Portar uma arma significa simplesmente que o rapaz deixou de ser criança e deve se comportar como homem (. .. ) As armas são disparadas quando precisam ser disparadas. Por outro lado, a maioria dos europeus a partir de 1945, inclusive nos Balcãs, viveu em sociedades onde o Estado desfrutava de um monopólio de violência legitima. Quando os Estados se esfacelaram, o mesmo ocorreu com esse monopólio. “Para alguns jovens europeus do sexo masculino, o caos resultante [desse colapso (. .. ) propiciava a oportunidade de ingressar em um paraíso erótico do tudo-é-permito. Daí a cultura semi-sexual, semi pornográfica da pistola nos postos de fronteira. Para os jovens, havia uma carga erótica irresistivel em portar poder letal em suas mãos, e usá-lo para aterrorizar os indefesos. Desconfio que grande parte das atrocidades atualmente cometidas nas guerras civis de três continentes refletem esse tipo de ruptura, característica do mundo ao final do século XX (_I.’
• HOBSBAWN, Eroc. Baroone: Manua’ do Usuano. São Paulo: cia das [.erras. 1998. p. 269.

Outra herança, não menos sombria, são as conseqüências do aquecimento global para o planeta. Inundações, desertificação, desequilíbrios de toda ordem no meio ambiente freqüentam as manchetes dos jornais diariamente. A cada ano, cerca de 150 mil pessoas morrem em conseqüência das alterações climáticas, número que poderá dobrar em duas décadas, segundo previsões da Organização Mundial da Saúde (OMS).
O Brasil não se exclui dessas questões e tem seus alvos de correção, que passam pela melhoria da qualidade de vida de seus cidadãos e pela construção de um sentido mais amplo de cidadania e inserção social. o Brasil, 40% das mortes de jovens são causadas pela violência armada.
Superar esses padrões de destruição e corrigir os estragos parecem ser os desafios do ainda jovem século XXI. A grande questão é: que caminhos seguir?
Análise e discussão
Proponha a discussão das seguintes questões, articulando-as com os temas transversais e acrescentando tópicos:
A que conclusões podemos chegar ao analisarmos os depoimentos do programa O Brasil da Virada.
Em que áreas se percebem os pontos críticos da crise civilizatória em nosso país?
Quais os desafios éticos, ambientais, politicos e cultura’s que o Brasil da virada dos séculos enfrenta? Como isso se contextualiza no mundo7
Ação e representação
Divida a classe em grupos e oriente cada um deles a analisar um aspecto abordado no programa. Ajude-os a explorar os temas em artigos, matérias, entrevistas e dados estatísticos. O resultado deve ser apresentado num grande painel de discussões.
Sugestões adicionais
Sugira que alguns vídeos sejam utilizados como recursos:
Favela Rising – sobre a trajetória e o trabalho social do grupo AfroReggae;
Uma Verdade Inconveniente – sobre os efeitos do aquecimento global;
Fahrenheit 9-11 – sobre as causas e os efeitos dos a en ados de ” de setembro de 2001 nos Estados Unidos e a manipulação da opinião pública pelos grandes veículos de comunicação.